Seis dicas de nutrição para evitar pedras nos rins

 

Foto: Reprodução

Quem já passou por isso, garante: os cálculos renais, conhecidos popularmente como pedras nos rins, rendem crises marcadas por dores intensas, praticamente insuportáveis, que começam na região lombar e se espalham para o abdômen.

O problema inicia quando há acúmulo de oxalato,  ácido úrico, cálcio e fósforo no organismo. Em grandes quantidades, essas substâncias se unem e formam cristais que podem causar dor e sobrecarregar os rins.

As causas da doença vão desde problemas genéticos e infecções urinárias até a alimentação — acredita-se que a mudança nos hábitos alimentares dos brasileiros seja responsável pelo aumento no número de casos registrados.

Alimentos com altas concentrações de ácido oxálico e fítico, por exemplo, prejudicam a absorção do cálcio pelo organismo, aumentando os riscos de formação dos cristais.

Por isso, convém evitar ou diminuir o consumo de alguns grãos e hortaliças que contêm essas substâncias.

Entre os alimentos que devem ser evitados, podemos citar:

·         folhas: espinafre; acelga, agrião, escarola, couve

·         temperos: salsinha, manjericão; cebolinha, aipo

·         legumes:beterraba; quiabo; berinjela

·         frutas: morango, tangerina, framboesa, amora, uvas passas

·         amendoim e nozes

·         feijão;

·         chocolate e cacau

·         chá verde e preto

Se o que ingerimos tem relação direta com a formação de cálculos renais, que tal conhecer os alimentos que ajudam a evitar pedra nos rins?

Confira:

1. Água

Aumentar o consumo de água é o primeiro passo para se livrar — e evitar — pedra nos rins. A desidratação aumenta as chances de acúmulo de cálcio e outros minerais nos rins, contribuindo para a formação dos cristais.

Manter o corpo hidratado, bebendo pelo menos 2 litros de água por dia, é essencial para prevenir crises.

2. Frutas cítricas

Frutas cítricas são ricas em citrato, um mineral que dificulta a formação dos cálculos renais. Elas podem ser consumidas in natura ou na forma de sucos, 3 a 4 porções por dia é o ideal. Veja algumas opções:

·         laranja;

·         limão;

·         abacaxi;

·         acerola;

·         pitanga.

3. Laticínios

As pedras nos rins são, em sua maioria, compostas por uma combinação de cálcio e oxalato. Antigamente, acreditava-se que deveria se restringir o cálcio da dieta para evitar a formação de cálculos, mas hoje não se recomenda diminuir o consumo de laticínios e outros alimentos fontes de cálcio.

O leite — e seus derivados — contém nutrientes importantes para o organismo (além do cálcio). Quando consumido na quantidade adequada, não representa problemas. Alguns estudos até apontam hoje para um efeito protetor na ingestão de ao menos duas porções diárias de alimentos fontes de cálcio.

4. Frango + peixe + carne + ovo

O consumo de grandes quantidades de proteína, em especial de origem animal, aumenta a produção de ácido úrico e a excreção urinária de cálcio e oxalato, favorecendo a formação dos cálculos renais.

É indicado diminuir o tamanho das porções de proteínas da sua dieta. Normalmente, ingerimos uma quantidade muito maior do que realmente necessitamos.

5. Fontes de magnésio: Aveia

Os alimentos fontes de magnésio são uma boa aposta. Esse mineral tem a capacidade de se ligar com o oxalato, diminuindo sua excreção urinária e consequentemente a formação de cálculos.

Com baixo teor de oxalato e alta concentração de fibras, seu consumo é liberado mesmo para quem tem propensão à formação de pedras nos rins.

Outras fontes de magnésio: tofu, germe de trigo, melaço de cana, batata

6. Suco de cranberry

Cranberry é uma fruta rica em antioxidantes, normalmente consumida na forma de suco.

Apesar de não possuir a capacidade de evitar pedras nos rins, ela é conhecida por prevenir infecções do trato urinário — um dos fatores de risco para a doença.

Manter um estilo de vida saudável,  praticar atividades físicas regularmente e controlar a alimentação são estratégias essenciais para evitar pedra nos rins e prevenir o sofrimento proveniente das crises.

O tratamento e a orientação sobre a alimentação adequada para cada paciente dependem da avaliação de um nutricionista.

Se você já teve ou suspeita ter cálculos renais, não deixe de consultar um urologista para fazer o diagnóstico e iniciar o tratamento.

 

Referência: Texto extraído do site: https://blog.drconsulta.com/2017/07/6-dicas-de-nutricao-para-evitar-pedra-nos-rins/

Comentários